segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Um pouco da história da música Filho Agente não Enjeita



Foi publicada em 2007 pela biblioteca publica estadual setor de braile atendendo a um pedido do instituto dos cegos de Pernambuco. Porém tudo começou quando atendendo a um convite de Bezerra de Lemos compareci ao auditório da Biblioteca Pública Estadual para participar de um evento em homenagem a Alberto da Cunha Melo que acabara de falecer durante a Bienal do Livro de Pernambuco realizada em 2007 mais propriamente no ultimo dia.

Ao chegar me surpreendi com a quantidade de portadores de deficiência visual presentes ao evento e descobri a estreita relação que este poeta Jaboatanense filho de Benedito da Cunha Melo, autor da letra do hino de Jaboatão dos Guararapes, desenvolveu ao longo de sua vida com os deficientes aos quais se dedicou intensamente, eles estavam ali para homenagear seu poeta predileto.

Declamei durante a homenagem “Filho a Gente não Enjeita”, dias depois fui surpreendido por Graça e Marcos do setor de Braile da biblioteca pedindo autorização para publicar o cordel em Braile e este, considero minha principal autoria e fonte de muitas amizades sinceras construídas!

Essa e muitas outras canções estão no CD Coisas do Sertão de Cobra Cordelista com participação de Carlinhos Cantador
Para adquirir o CD basta ligar para (81) 9914-4922
E-mail: cobracordelista@hotmail.com



video

Um comentário:

  1. Carlos Aires Carpina PE.

    Linda e comovente historia caro poeta, são realidades que acontecem no nosso dia a dia e o poeta divinamente transforma em poasia adorei!!! Um abraço do também cordelista Carlos Aires Carpina PE.

    ResponderExcluir