sábado, 31 de julho de 2010

SHOW DE COBRA CORDELISTA

SHOW DE COBRA CORDELISTA
NA BEIRA MAR DE BARRA DE JANGADA
DIA 06.08.2010 (sexta-feira)20:00hs





Dia 06 de Agosto de 2010 (sexta-feira) as 20:00hs no BAR SEM NOME na cidade de Jaboatão dos Guararapes tem Recital de Cobra Cordelista. Na ocasião cada cliente é um poeta, com microfone franqueado para recitarem seus versos. No Repertório, contos, causos, forró de raiz e a poesia matuta com muito Lirismo e bom humor. Não faltará a música romântica para embalar a noite dos casais enamorados.

BAR SEM NOME
Presidente Castelo Branco, Sn
Na Beira mar de Barra de Jangada
Próximo imagem de IEMANJA
FONE (81) 3469.3127

Achei Bin Laden em São José do Egito


Eu achei Bin Laden em São José do Egito. Ele é dono do bar mais exótico do Pajeú das Flores. Um ponto de encontro do povo da região. Indo a São José do Egito não deixe de ir a "shecos bar" e conversar diretamente com nosso Bin Laden, mas não espalhe a notícia, pois a cia não pode saber que Bin Laden é Brasileiro, mora e trabalha em São José do Egito. Agora cá pra nós, dizem as línguas ferinas que, se o cabra tomar umas doses a mais e ficar meio bebum, o sheco aumenta a conta, ou seja, segundo dizem, para nosso barman, cu de bebo não tem dono.



Segura a onda, esta é mais uma curiosidade nordestina, que o nosso blog já sacou!

Bar do Sheco fica por trás da igreja matriz de São José do Egito, indo lá é só pegar a dica do nosso blog e conferir...

Abraços!



Delmiro Barros do Pajeú das Flores é Cultura de Raiz

Delmiro Barros é um artista de sucesso da Região do Sertão do Pajeú. Com uma carreira consolidada, recebe o carinho do povo de São José do Egito, que lota os shows e eventos que realiza. Além de ser um cantor aprovado pelo público sertanejo, que admira seus talentos, Delmira Barros, ainda realiza espetáculos culturais, inclusive de violeiros. Quando realiza toda última quinta feira de cada mês no Marcellos Bar o quintal da Cantoria, encontro de cantadores de viola com os melhores cantadores de viola do Nordeste.

Portanto tá divulgado mais uma, toda última quinta feira do mês tem cantoria em São José do Egito no Marcelos Bar, são quatrocentos quilômetros de estrada, um friozinho gostoso e um povo muito hospitaleiro.

Delmiro Barros é garantia de bom espetáculo com forró de excelente qualidade, tem vários CD’s e DVD’s gravados, é vereador de São José do Egito e presidente da câmara, além de tudo boa praça.

Sucesso companheiro!É nosso blog dando mais uma espiadinha e divulgando a cultura nordestina, valeu a dica?


sexta-feira, 30 de julho de 2010

Grupos teatrais são sucesso no Caminhos do Frio em Areia-PB de 19 a 25 de julho 2010


Durante a duas noites destinadas às apresentações de peças teatrais na Rota Cultural Caminhos do Frio em Areia, o sucesso foi tão grande que os dois grupos de teatro da cidade, o Recreio Dramático e o Gameleira tiveram que se apresentar em duas sessões cada uma, sempre com o teatro lotado.

O grupo Gameleira apresentou ao público a comédia O casamento de Carol, enquanto que o grupo Recreio Dramático apresentou a comédia Família é uma deZgraça. Duas comedias que demonstra o cotidiano de duas típicas famílias nordestinas, e que levou todo o publico a dar boas gargalhadas.
Talvez o segredo do sucesso para as duas peças, seja abordar temas em que o público se identifica, chegando ao ponto de se ver em alguns momentos em cima do palco, as cenas, as falas reproduzidas na peça com certeza já foram vivenciados por muitos.

Toda a produção dos dois espetáculos são de jovens areienses, que escrevem o texto, montam o figurino e o cenário. O talento dos jovens atores e atrizes areienses, já foi reconhecido a nível Estadual e é sucesso de público e critica por onde passa
Nessa Rota Cultural Caminhos do Frio, um espaço que foi bastante visitado pelos turistas foi o espaço Gameleira, onde o referido grupo de Teatro expôs todos os seus figurinos e fotos de produções anteriores da que foi apresentada nessa 5º edição da Rota Cultural contando toda a trajetória do grupo.

Festival gastronômico movimentou Rota Cultural Caminhos do Frio em Areia-PB de 19 a 25 de julho de 2010




Um dos eventos mais aguardados na 5º edição da Rota Cultural Caminhos do Frio, Frio Cachaça e Arte, foi o festival gastronômico, onde novos pratos foram desenvolvidos e pratos já tradicionais da culinária brejeira, receberam dois ingredientes inusitados e típicos da região do brejo a cachaça e a rapadura.

O evento esta na sua 3º edição e conta com a participação de 13 comerciantes da cidade, são bares, padarias, lanchonetes e pizzarias que desenvolveram pratos com os dois ingredientes inusitados. Como aconteceu em edições anteriores do festival de gastronomia a maioria dos pratos desenvolvidos pelos participantes passam a compor o cardápio dos estabelecimentos comerciais que participaram do festival gastronômico, fazendo bastante sucesso entre a população areiense e também com os turistas.

O exemplo do êxito obtido pelo festival gastronômico realizado na Rota Cultural Caminhos do Frio, foi o sucesso e a aceitação do sorvete com rapadura na 5º edição do Salão turismo realizado na cidade de São Paulo, a confirmação do sucesso foi a grande fila que se formou para que as pessoas pudessem saborear o sorvete com rapadura.

Nesse ano de 2010, na 5º edição da Rota Cultural caminhos do Frio, o grande sucesso do festival gastronômico foram os doces com cachaça, feitos pela culinarista Ester, a cachaça um ingrediente especial deixa um gostinho marcante e uma calda licorosa nos doces, que com ou sem cachaça, são muito saborosos. Segundo a culinarista os doces com cachaça foram desenvolvidos exclusivamente para a rota cultural caminhos do frio, com a sua primeira degustação durante o festival gastronômico.

A realização do festival gastronômico no Caminhos do Frio em Areia é muito importante para fortalecer a economia local e também o turismo, hoje na cidade de Areia existem 28 engenhos em pleno funcionamento, que estão gerando emprego e renda. Outra grande importância do evento é demonstrar que a cachaça, a rapadura e seus derivados podem e devem ser consumidos de outra forma, a intenção maior dos organizadores do evento é agregar valor ao produto tradicional da região com isso fortalecendo a economia.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mais fotos do vestival do Universitário de São José do Egito

São José é um espetáculo de cidade e de povo hospitaleiro. Berço da poesia de Pernambuco, a poesia está na alma deste povo do sertão que se orgulha de seu passado e caminha no presente na direção do futuro. Daqui fui com amigos como Dr. Cláudio Leite, nascido em são José do Egito e médico do Bairro do Loreto em Jaboatão dos Guararapes, sua esposa a Geóloga Adjane, Sotero e sua esposa, o Pedrinho um garoto muito esperto filho de Cláudio, lá conheci Dr. Ciro, Dr. Ednaldo Leite, o poeta Oliveira, Rildo, Rfael Passos e tantos outros Amigos.

Revi meu amigo o Poeta de família tradicional de São José do Egito Marcos Passos e a felicidade ficou completa. Que lugar maravilhoso, porém lá eu achei Bin Laden e sobre isto eu posto depois.








segunda-feira, 26 de julho de 2010

A sua revista eletrônica de cultura popular nordestina


Cobracordelista.blogspot.com

A sua revista eletrônica de cultura popular nordestina

Neste blog você vai encontrar pesquisas sobre assuntos diversos da cultura Nordestina, fotos de eventos culturais que acontecem no nordeste, fotos e curiosidades de outros municípios, vídeos interessantes , poesias e biografias de artistas populares de qualquer município Brasileiro (uma fonte importante para professores e pesquisadores da nossa cultura).

Quem gosta do trabalho do poeta e escritor Cobra Cordelista, pode acompanhar os recitais e palestras, que realiza por estes sertões afora, defendendo e preservando a cultura do povo de nossa terra. Por falar nisto, você já adquiriu alguma obra do poeta? Veja abaixo algumas publicações do mesmo e como adquirir:

1.O Canto da Serpente

É o mais novo cd do artista com 13 faixas e custa R$ 10,00(dez Reais), mais despesas com entrega em qualquer lugar do Brasil ou do exterior, com composições inéditas de sua autoria e de outros compositores.

2.Histórias de Caboclo para corações Pequeninos

Um livro com 10 (dez) histórias infantis, todas de sua autoria, já aprovadas pela criançada em seu espetáculo infantil “Salas de Cordel”, que custa R$ 20,00 (Vinte Reais),mais despesas de entrega em qualquer lugar do Brasil ou do exterior.

Para adquirir qualquer obra do poeta, sugerir alguma matéria para expor no Blog ou divulgar algum artista de sua região, ligue código da operadora +(81.8649.6768 ou 81.9914.4922) ou faça contato pelo e-mail cobracordelista@hotmail.com

Poeta Cobra Cordelista

Por amor a cultura

Breve biografia

Cobra Cordelista é presidente do conselho de Cultura de sua cidade Jaboatão dos Guararapes e faz parte da secretaria de Cultura do município. Nasceu em Recife, filho de um Pernambucano e de uma Paraibana da cidade de Areia, de onde credita a origem de sua prosa matuta. Recebeu título de cidadão Jaboatanense em 03 de julho de 2007, apresentado pelo então vereador e hoje vice-prefeito Edir Pinto Peres.



Morre Cussy de Almeida aos 74 anos, chora Pernambuco...




Pra mim não tem importância
Se você é um doutor
Um cientista, um astronauta
ou um simples lavrador
homens como Balduino
do império Bizantino
Calicula Galba , Crispim
Dario Pompei e Tibério
todos tiveram seu fim...

Trechos do Poema "O Anjo" de Onildo Barbosa.

As crianças e adolescentes da Orquestra Criança Cidadã Meninos do Coque devem fazer uma homenagem ao maestro Cussy de Almeida, fundador do projeto que deu origem à orquestra, às 14h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. Cussy de Almeida, de 74 anos, faleceu ontem, por volta das 21h30, no Hospital Santa Joana, onde estava internado há 55 dias para tratar uma deficiência pulmonar. De acordo com Suzana Costa, esposa do músico, ele tinha apresentado uma melhora nos últimos dias e a expectativa é de que fosse transferido da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para um apartamento.

O velório, que já está acontecendo no Morada da Paz, deve reunir familiares, amigos, músicos e artistas. Às 15h, o padre Edvaldo Gomes, da Paróquia de Casa Forte, celebrará uma missa de corpo presente. Às 18h, o corpo deve ser cremado. A família ainda não decidiu o que fará com as cinzas do corpo.

Cussy de Almeida deixa cinco filhos, quatro deles fruto do primeiro casamento, e uma filha do segundo casamento. “Ele foi um pai lindo, que me mostrou o mundo de uma maneira muito bonita, cheio de esperança e beleza, que era como ele mesmo via”, disse Nathalia Wicks de Almeida, mãe de Rocco, que hoje completa cinco meses. O nome do bebê foi colocado pelo avô, em homenagem a um amigo, músico violoncelista da Itália.

Nascido em Natal, Cussy de Almeida deixou cinco filhos. Há anos ele se dedicava a dirigir a Orquestra Cidadã Meninos do Coque, que foi indicada em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos 100 melhores projetos sociais do mundo. A seleção final ocorrerá em outubro, com a escolha dos 10 melhores projetos em todo o mundo, em uma festa em Dubai, nos Emirados Árabes.
Cussy de Almeida foi diretor da fundação de cultura do Recife e figura destacada da criação do movimento de cultura popular brasileira iniciada em Recife, durante a gestão do Ex-Prefeito do Recife Miguel Arraes de Alencar ao outras figuras como Abelardo da Hora, Germano coelho que mais tarde foi eleito Prefeito do Recife, Ivan Mauricio, Silke Weber e tantos outros nomes que dignificaram a classe artista e intelectual Brasileira, e faz do nordeste a elite da Cultura Brasileira de fato,pela importante da cultura realizada aqui para a formação da sociedade Brasileira.

A feira de exposição de animais de Sertânia

A feira de exposição de animais de Sertânia foi o maior sucesso de negócios de todas as edições anteriores, isto por causa de seus organizadores. Agora a minha comprovação, fui ao Banco do Brasil as 18:00 hs sacar um dinheiro para despesas enquanto viajava no Banco do Brasil de Sertânia, resultado nos caixas eletrônicos não havia um centavo. O evento mexe com a economia da cidade encontrei com conselheiro da OAB de Jaboatão dos Guararapes, que declarou-se natural de Sertânia e quando lhe falei da imensa melhoria de qualidade de vida do povo de sua terra, seus olhos brilharam de satisfação e de vontade de rever a sua terra natal.

Meu amigo Renan, que me acompanhou nesta viagem consegui um click apos se esconder várias vezes e também pousa para fotos o Secretário de cultura meu amigo Enio, filho do professor Ivan ex-prefeito do Município.







Cobra Cordelista

domingo, 25 de julho de 2010

Minha homenagem a Itapetim

Itapetim está a 420 quilômetros do Recife e foi amor á primeira vista. Já visitei muitas cidades Pernambucanas e conheci muita gente, tanta que a tinta da caneta não conseguiria escrever. Mas Itapetim é diferente, é indescritível. Localizada entre as serras é a primeira cidade a ser banhada pelo rio Pajeu.

Acordar em Itapetim, é Acordar no Céu, lá não é muito importante qual o credo religioso, pois todos já estão pertinho de Deus, pois os céus de Itapetim, já são uma dádiva do Pai eterno. Um cruzeiro belíssimo protege seus cidadãos e nas rochas é guardada a sua fé. Todo cidadão é poeta, pois a poesia está no coração de cada morador desta cidade, e isto os faz muito felizes.

Em Itapetim a loucura virou sanidade, pois percebe-se nos insanos uma sanidade capaz de transmitir a paz e a tranquilidade. Meus agradecimentos Taciana, grande jornalista da Sertânia FM e da rádio Pedras soltas, ao grande Bernardo (água com açúcar), que tem Itapetim na alma e que se dedica com amor e carinho em descrever e fotografar a cidade que tanto ama.

Lá no Pezinho da Serra eu dizia a Bernardo para esquecer a doença de Chagas, que ele pensa que tem, pois Deus já o curou e ele não sabe, pois aos que se esforçam em fazer , Deus prolonga os seus dias para que testemunhem de seu poder. Ao Poeta Zé Adalberto, que merece todo respeito a ele e a sua obra de primeiríssima qualidade, digna de ser incluída entre os menestréis da poesia, ao Vice-prefeito João e um abraço forte a todos os cidadãos desta maravilhosa cidade...

La no meu pé de Serra
Deixei ficar meu coração
ai que saudades tenho
eu vou voltar pro meu sertão...













sexta-feira, 23 de julho de 2010

38 feira de exposição de animais de Sertânia

Por: Cobra Cordelista.

A 38 feira de exposição de animais que a cidade de Sertânia realiza todos os anos, foi mais um grande sucesso de público e de negócios. Criadores de todas as regiões compareceram e realizaram grandes negócios, o espetáculo teve ainda participações especiais de Zezé de Camargo e Luciano, Cristina Amaral e encerrou com Show de Os Nonatos, entre outras atrações.

Fui lá conferir a festa e mostrar para os leitores deste blog o que de melhor acontece em Pernambuco.











quinta-feira, 22 de julho de 2010

Nossa Homenagem!!!

José Adalberto Ferreira (Zé Adalberto), nascido no sítio Juá, Município de Itapetim – PE, em 25 de junho de 1962, é filho do casal Odon Ferreira Campos (Odon Preto) e Maria Xavier de Souza (Mãezinha) sobrinha do folclórico Severino Cassiano Pereira (Biu Doido).


Zé Adalberto casou-se com Maria José Ferreira de Souza, com quem tem dois filhos: Ítalo e Izabela Taise.

Estudou o primário no Grupo Escolar do Logradouro, o Ginásio e 2° Grua no Colégio Municipal de Itapetim Zé Adalberto não é cantador de profissão. Até os 25 anos de idade foi agricultor e, desde 1985, é funcionário público, na função de Auxiliar de Serviços Educacionais, lotado no Grupo Escolar Tereza Torres – Itapetim – PE. Mas é poeta, tendo muitas de suas poesias publicadas em diversos livros coletâneas (Antologias). Também já participou de vários festivais de cantadores, regionais e nacionais, tendo sido premiado com várias medalhas e troféus, como, por exemplo, o 1° lugar no festival de poetas Amadores, promovido pela Prefeitura Municipal de Itapetim, no Espaço Cultural Rogaciano Leite, fazendo dupla com o poeta Fernando Emídio, do sítio Prazeres, Município de Itapetim.

. Muitos versos de Zé Adalberto foram publicados em livros coletânea e o ano passado publicou um livro sozinho, intitulado “No caroço do Juá” (Cf. FERREIRA, 2005, 174p). Além disso, muitos de seus versos foram gravados em CDS de cantorias, como por exemplo, as canções “Órgão de Mãe” e ”Seu corpo é meu pecado” no CD da dupla Rogério Menezes e Raimundo Caetano, em 1998. No ano seguinte, em 1999, uma das supracitadas canções “Seu Corpo é Meu Pecado“ e a canção “Desabafo de Sertanejo” foram gravadas no Cd “Alma de menino” dos Nonatos. Além disso, participou na faixa 7, intitulada “A Mulher”, do Cd “É feito de fato”, da dupla Edmilson e Lisboa,
. Tempos depois, as canções “Órfão de mãe” e “Seu Corpo é Meu Pecado” Foram transformadas em músicas e gravadas no CD “Netinho do Forró”. Em 2004, o cantor itapetinense Vicente di Paula, regravou a canção “Seu Corpo é meu Pecado” e uma nova canção, intitulada “Magnífica” em seu CD. Em 2005, mais uma de suas poesias, “Caboclo Nativo”, foi gravada em forma de música por Val Patriota em seu CD Intitulado “Até que em fim”

. Finalmente em 2007, Val Patriota gravou mais uma música de Zé Adalberto. Intitulada “Retirei seu retrato da Carteira” Sem tirar seu amor do Coração”, que é um dos poemas do supracitado livro.

. Como também o Forró Pé – de – Bucha, gravou a música de Zé Adalberto intitulada “Traição à primeira vista”.

. Além disso, é de Zé Adalberto e Vicente di Paula o terceiro Hino Municipal de Itapetim, o qual foi oficializado pela Câmara de Vereadores pelo projeto Lei n. 27/3003 (digo terceiro, porque, nos anos 50, a poética Otacília patriota havia feito um primeiro Hino de Itapetim, que era uma paródia da Música “eu te amo meu Brasil”, que era, embora não tenha sido oficializado pela Câmara de vereadores, se cantava nas escolas Municipais nos anos 50 e, em 1993, havia sido oficializado um segundo hino, de autoria de Hilda Leite, irmã do PE. João Leite.

Mais recentemente participou do documentário “Com a Boca No Mundo”. Da série “Poetas do repente”, produzida pela FUNDARJ e a Editora Massangana, para a TV Escola, o qual foi exibido mais de dez vezes.

Dentre os trabalhos de Zé Adalberto, destacamos os seguintes sonetos contidos no seu supracitado livro:


Cinesexo
Num cenário pleno de encantos, a sós
Posicionamos nossos corpos nus
Sem nenhum recalque, apenas a luz
Do amor pairava forte sobre nós
.
De seu livro, o próprio Zé Adalberto selecionei esta estrofe, a partir de vários motes, que vale a pena mostra aqui:
.
Pra que casa cercada por muralha
Se a cova é cercada pelo pranto
Se pra Deus todos têm do mesmo tanto
Tanto faz a fortuna ou a migalha
Pra que roupa de marca se a mortalha
Não requer estilista na costura
Se o cadáver que a veste não procura
Nem saber se a costura ficou boa
Pra que tanta riqueza se a pessoa
Nada leva daqui pra sepultura?


RETIREI SEU RETRATO DA CARTEIRA
SEM TIRAR SEU AMOR DO CORAÇÃO

José Adalberto de Itapetiga
Seu retrato foi todo incinerado
Mas até na fumaça deu pra vê-la
Não há nada que faça eu esquecê-la
Eu nem sei se por ela sou lembrado
Meu desejo está contaminado
Pelo vírus da sua sedução
Junta médica não faz intervenção
Se souber que a doença é roedeira
Retirei seu retrato da carteira
Sem tirar seu amor do coração.
.
Esse meu coração só pensa nela
Apesar de bater no meu reduto
120 batidas por minuto
São as 20 por mim, e as 100 por ela
Eu com raiva rasguei a foto dela
Mas amor não se rasga com a mão
Se vontade rasgasse ingratidão
Eu só tinha deixado a pedaceira
Retirei seu retrato da carteira
Sem tirar seu amor do coração.
.
Seu veículo de amor ainda cabe
Na garagem do peito que era seu,
O chassi do seu corpo está no meu
Se eu tentar alterá-lo o mundo sabe
Não existe paixão que não se acabe
Mas amor não possui limitação
Vai além das fronteiras da razão
E o que eu sinto por ela é sem fronteira
Retirei seu retrato da carteira
Sem tirar seu amor do coração.
.
Da carteira eu tratei de dar um jeito
De tirar sua foto de olhos vivos
Mas não pude apagar os negativos
Que ficaram gravados no meu peito
Junto à lei nosso caso foi desfeito
A igreja anulou nossa união
Mas do peito não tive condição
De tirar esse amor por mais que eu queira
Retirei seu retrato da carteira
Sem tirar seu amor do coração.


quarta-feira, 21 de julho de 2010

Festival dos Universitários de São José do Egito- Pernambucano


O festival aconteceu de 14 a 18 de Julho de 2010 e fui lá conferir a festa. Confesso que esperava um pouco mais, mas entre algumas presenças especiais como Bia Marinho e outras vozes do Sertão, me impressionou o grupo cultural Caco de Telha de São José do Egito, onde artistas muito jovens e muito talentosos misturavam com muito bom gosto, música Sertaneja de raiz e poesia Genuinamente Sertaneja. Me frustrou o fato de São José ser a cidade Pernambucana considerada como referencia número um se tratando de poesia, berço de grandes poetas Brasileiros como Jó Patriota, Rogaciano Leite (este Nascido em Itapetim, antiga Umburanas Ex distrito de São José do Egito ),Val Patriota ,Marcos Passos e tantos outros.

Vi que o amor pela poesia que esta encravado no coração do povo desta cidade não estava no palco, senti a falta destes, e também o povo presente aos espetáculos, dos grandes cantadores da Região, e a festa caminhou um pouco mais para o forró da região.

Porém os meninos do Caco de Telha foram muito bem, mostraram conhecimento da sua proposta, enaltecendo obras de José Marcolinho, de Humberto Teixeira e outros compositores cuja qualidade musical alcançou as metrópoles Brasileiras. Fiquei Feliz com a música destes Jovens e os parabenizo, pois são jovens com talento de Gente Grande. Mas para felicidade da grande nação Cultural gostaria que São José do Egito recuperasse a tradição desta festa trazendo novamente para o palco melhores investimentos, com uma tenda melhor e maior para o espetáculo cultural, um som de melhor qualidade enfim, uma estrutura melhor para a Festa do Universitário. Vale opinar, por que dois palcos? Esta festa poderia rolar a tarde e a noite na Arena Principal, ou seja, no palco Central e teríamos assim uma festa para todos os gostos que iria chamar a atenção do turismo cultural, tão em moda em nosso País.

A festa do universitário foi mais uma invasão do nosso blog em festas culturais que ocorrem em nosso estado, ela ocorre no mês de Julho e se Deus quiser agente vai estar lá no próximo ano, e ela estará mais bonita e mais cultural, para felicidade dos artistas e do público presente!

Abraços!

terça-feira, 20 de julho de 2010

SHOW DE COBRA CORDELISTA NO PAJEU DAS FLORES


Dia 13 de Agosto de 2010, as 21:00hs em MARCELLOS BAR na cidade de São José do Egito tem Show de Cobra Cordelista. No Repertório Contos, Causos, Forró de Raiz e a poesia matuta com muito Lirismo e bom humor. Não faltar a musica romântica para embalar a noite dos casais enamorados.


MARCELLOS BAR
RUA PADRE GUEREL13
IPIRANGA – SÃO JOSE DO EGITO- PERNAMBUCO
FONE (87) 9605.4427

Itapetim O VentreImortal da Poesia Recebe de Braços Abertos O Poeta COBRA CORDELISTA




Neste último final de semana a nossa cidade teve o privilégio de receber a visita do poeta cordelista “COBRA CORDELISTA” da cidade de Jaboatão dos Guararapes. Presidente do Conselho e membro da Secretária de Cultura de sua cidade, tem uma vasta bagagem cultural: São dois CDs gravados, o último O Canto da Serpente é sucesso popular. Autor dos livros Historia de Caboclo – para corações pequenos e um cordel para Jesus e também mais de trinta título de cordéis publicados.

Próximo dia 13 de agosto retornará a nossa região para apresentar-se no Marcelo bar na cidade de São José do Egito-PE

Veja os vídeos e foto de cobra em Itapetim

Matéria tirada do site:http://itapetim.net/

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Os limites de Jaboatão


Por James Davidson

O município de Jaboatão dos Guararapes, situado na Região Metropolitana do Recife, estado de Pernambuco, possui os seguintes limites:
Leste: Oceano Atlântico
Norte: Recife e São Lourenço da Mata
Oeste: Moreno
Sul: Cabo de Santo Agostinho

Limite com o Oceano Atlântico: Segue a partir do limite com o Recife próximo ao Hospital da Aeronáutica na Praia de Piedade pelo litoral até a Foz do Rio Jaboatão.
Limite com o município do Recife: Segue do marco na Praia de Piedade que delimita o limite com o Recife por uma reta até o Rio Jordão, sobe por este até o centro da terceira lagoa, daí por uma reta para a chamada segunda lagoa, daí por outra reta até a primeira lagoa, segue deste ponto até a Cacimba do Urubú, daí para o Centro do Barranco Branco
Limite com o município de São Lourenço da Mata: Segue da foz do Tejipió-Mirim no Rio Tejipió por uma reta até o centro do antigo açude de Camassari.
Limite com o município de Moreno: Segue do centro do Açude de Camassari por uma reta até a Serra da Macambira (Foto abaixo) daí segue por outra reta até o encontro do Riacho São Salvador com o Rio São Salvador, segue por este até a confluência deste no Açude Secupema.
Limite com o município do Cabo de St° Agostinho: Segue da Foz do Rio Jaboatão até a confluência com o Rio Pirapama, daí segue por uma reta até o Alto do Oitizeiro, deste ponto desce pelo Rio Morto até a sua foz no Rio Jaboatão, segue pelo Rio Jaboatão até a foz do Rio Caongo seguindo por este até sua nascente, daí segue por uma reta até a foz do Rio São Salvador.

Os limites de Jaboatão dos Guararapes com outros municípios normalmente são pouco conhecidos da população que aqui reside e, por isso, muitas vezes são motivos de conflitos e de disputas territoriais em alguns locais. O limite mais conflituoso, com certeza, é com o município do Recife que já foi mudado diversas vezes e boa parte da população que reside nesses locais sequer tem ideia por onde eles passam. Por isso, é comum, muitas vezes, a pessoa morar em Jaboatão e acreditar que mora no Recife. Os maiores exemplos desse problema estão nas comunidades de Alto do Céu, parte de Coqueiral, Pacheco, Zumbi do Pacheco, Monte Verde, UR 11, UR 06 e Jardim Jordão. É por isso que é importante entender um pouco as razões dessas disputas.

Até 1928 as terras de Jaboatão abrangiam, além das atuais, o território do atual município de Moreno, o bairro de Tejipió até a Ponte e a comunidade de Pontezinha. Em 1928 o então Governador de Pernambuco Estácio Coimbra desmembrou o município emancipando Moreno, anexando Tejipió ao Recife e passando o povoado de Pontezinha para o Cabo de Santo Agostinho. Orlando Breno, em seu livro Jaboatão sua Terra sua Gente, afirma que isto aconteceu por vingança política pois Estácio coimbra não teria tido muitos votos em Jaboatão.

Posteriormente, surgiram várias outras ameaças à integridade do município da Integração nacional. Em 1948 Cavaleiro foi elevado à condição de município, fato que foi anulado logo depois. Em 1989, a sede foi mudada para Prazeres porque queriam anexar Prazeres e as praias ao município ao Recife. Posteriormente, outros projetos surgiram para tentar desmembrar os distritos de Jaboatão, mas todos sem sucesso. Enquanto isso, a prefeitura do Recife, aproveitando do descaso de várias administrações que Jaboatão possuiu, visando apropriar-se dos territórios litigiosos entre os dois municípios, instalou postos de saúde e até escolas nesses locais(ex: Coqueiral, Monte Verde, Vila das Aeromoças, etc). Assim, como a prefeitura do Recife oferecia os serviços que as desadministrações anteriores de Jaboatão ignoraram, a população obviamente passou a identificar-se com o Recife e não com Jaboatão, mesmo estando fora dos limites da capital.

Por isso, é necessário haver maior atenção da prefeitura com esses locais, como também deve existir um verdadeiro trabalho de conscientização com a população local no sentido de resgatar a autoestima da cidadania jaboatonense para que possa haver uma maior valorização da identidade municipal.

sábado, 17 de julho de 2010

O caso de Eliza Samudio retratado em cordel


O Caso Eliza Samudio
(Salete Maria)

O caso Eliza Samudio
Que tem chocado o Brasil
Emerge como prelúdio
De um grande desafio:
Exortar nossa Justiça
Pra deixar de ser omissa
Ante o machismo tão vil!

Trata-se de um momento
De grande reflexão
Pois não basta só lamento
Ou alguma oração
É hora de provocar
Propondo um outro olhar
Sobre processo e ação

Saiu na televisão
Rádio, internet e jornal
Notícia em primeira mão
Toda manchete é igual:
Ex-amante de goleiro
(Aquele cheio de dinheiro!)
Sumiu sem deixar sinal

Muita especulação
- discurso de autoridade-
Uns dizem que é armação
Outros dizem que é verdade
Polícia e delegacia
Justiça e promotoria:
Fogueira de vaidades!

Mei-mundo de advogados
Investigação global
Cada um no seu quadrado
Falando em todo canal
Subjacente a tudo
Um peixe muito graúdo:
Androcentrismo total!

A mídia fala em Bruno
Eliza e gravidez
Flamengo, orgia e fumo
-esta é a bola da vez!-
Tem muito 'especialista'
Em busca de alguma pista
Pra ser o herói do mês

E a história se repetindo
Mudando apenas o nome
Outra mulher sucumbindo
Sob ameaça dum homem
Uma vida abreviada
Cuja morte anunciada
A estatística consome

Assim é a violência
Lançada sobre a mulher
Ela pede providência
E cara faz o que quer
Mas a Justiça, que é lerda,
Machista, 'fazendo merda'
Vem com papo de mané

E oito meses depois
Da 'denúncia' inicial
Que é o feijão com arroz
Do distinto tribunal
Nadica de nada existe
Mas autoridade insiste
Que isto, sim, é normal:

“A culpa é do Instituto
Que não mandou o exame”
- isto soa como insulto
e daqueles mais infame-
Não era caso de urgência?
-tenha santa paciência!-
Para que serve um ditame?

A moça buscou amparo
Na Justiça do país
Agiu correto, é claro
E esperou do juiz
O tal reconhecimento
Sobre o pai do seu rebento
Tendo a vida por um triz

Também fez comunicado
Ao campo policial
Dizendo que o namorado
Praticou crimes e tal
Buscou as vias legais
Enfrentou feras reais
Terá sido este o seu mal?

Mesmo com a delegacia
Dita especializada
E com toda a apologia
De uma Lei avançada
Faltou ter a ruptura
Com aquela velha cultura
De que a mulher é culpada

E o cumprimento legal
No caso, muito importante
Seria mais um arsenal
Para enfrentar o gigante
Mudar a mentalidade
De nossas autoridades
É fator preponderante

E para que isto ocorra
Entre outra alternativa
Antes que mais uma morra
E o caso fique à deriva
É preciso compreender
Que Justiça é pra fazer
Enquanto a mulher tá viva!

Sei que nada justifica
Que haja tanta demora
E enquanto o caso complica
A vítima 'já foi embora'
Sem medida protetiva!
Sequer prisão preventiva!
Quanta inoperância aflora!

Se o exame era necessário
À elucidação do crime
O Estado-perdulário
Neste campo fez regime
Ficando no empurra empurra
No velho: ''mulher é burra,
e joga no outro time”

Todo crime tem problemas
De toda diversidade
Assim como há esquemas
Também há dificuldades
Mas pra mim é evidente
Que o machismo presente
Premia a impunidade

Machismo compartilhado
Por gente de toda cor
Do goleiro ao empregado
Do primo ao executor
Autoridades também
Implicitamente têm
Um machismo inspirador

Cada 'doutor' se expressa
Centrado no garanhão
É o mote da conversa:
Fama, grana e traição
Ao se referir a ela
Falam da menina bela
Que fez filme de tesão

Falta a compreensão
Da questão relacional
Gênero, classe, profissão
Cor e status social
O processo é narrativa
Que emerge da saliva
Falocêntrica-legal

E ainda que alguns digam
“Oh, Eliza, coitadinha”
E suas doutrinas sigam
Desvendando pegadinhas
A escola dogmática
Do direito-matemática
Perpetua ladainhas

Processo judicial
Só serve para punir?
Havia tanto sinal...
Não dava pra prevenir?
E a tal ação civil?
Alimentos deferiu?
Para o bebê consumir?

É um momento de dor
Para a família dos dois
O caso é multifator
Não basta dar nome aos bois
A lógica policial
Cartesiana e formal
Festeja tudo depois

Por isso se faz urgente
Conjugar gênero e direito
Pois um trabalho decente
Que surta algum efeito
Não se limita a julgar
Mas também a estudar
O cerne do preconceito

Homens que matam mulheres
Em relações de poder
Isto tem se dado em série
Mas é preciso entender
Que subjaz ao evento
Um histórico comportamento
Que vai construindo o ser

A nossa sociedade
Apesar da evolução
Reproduz iniquidade
E também muita opressão
Homem que bate em mulher
- E “ninguém mete a colher” -
Sempre foi uma 'lição'

Aprendida por goleiros
Delegados, professores
Motoristas, marceneiros
Pedreiros e promotores
Garçons e malabaristas
Médicos e taxistas
Juízes e adestradores

Por isto em nossos dias
De conquistas sociais
De novas filosofias
Direitos especiais
Não podemos aceitar
Justiça só pra apurar
Crimes tão excepcionais

Que a Justiça também
Sirva para (se) educar
Chega deste nhém-nhém-nhém
Deste eterno blá-blá-blá
A Lei Maria da Penha
Existe pra que não tenha
Tanta morte a lamentar!!!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Eliza Freire

Eliza Freire\de Brito Pontes Artesã da cidade de Sertânia


O dia de Eliza Freire não é diferente de tantos outros artesãos Pernambucanos que agente encontra ao longo de outras cidades de nosso Estado. Agente encontra ela em sua loja, uma galeria muito bonita no centro de Sertânia, próximo a caixa econômica federal, dando acabamento em suas peças e criando a sua arte tão bela. Ela pinta os Santinhos, faz arranjos belíssimos e possui uma técnica especial que dá graça e beleza especial em tudo que põe a mão.

Viveu grande parte de sua vida ao lado de seu companheiro Severino Missena, político atuante deste município falecido há dezenove anos. Eliza foi conselheira tutelar da cidade e hoje atua no grupo da boa idade com um belo sorriso nos lábios e muita sabedoria e generosidade para distribuir com quem lhe dedicar à necessária atenção. Ela viveu os melhores momentos de sua vida em sua cidade querida e participou de todo movimento literário de poesia e de teatro.

Conheceu Pinto do Monteiro e destas lembranças fala com saudade. O velho Pinto do Monteiro morou na Av. Guararapes em Sertânia de 1975 a 1982 e ia sempre a sua casa, pois era bom companheiro de seu marido que era parceiro de lorota e de um aperitivo ao fim da tarde. Certa vez alguém disse que Pinto era bom Poeta , mas não tinha mais “peito”(voz) o poeta retrucou animadamente dizendo que conhecia uma porca cheia de peito , que porém nunca passou de uma porca. Outra vez vendeu a Missena seu velho violão para completar o dinheiro que compraria a sua ultima viola. Este violão Eliza guarda com carinho em seu atelier, disse ainda a de forma poética “Pense numa troca boa, troquei um homem (um violão) por uma mulher (uma viola) e ainda voltei dinheiro”.

A artesã Eliza Freire é meiga e educada, pessoa inteligente, que uma vez provocada demonstra um enorme conteúdo cultural, e como todo bom Sertanejo que se presa, tem na sua boa formação educacional o seu maior orgulho. Para mim foi um prazer conhecê-la e mostrar para os leitores deste blog Pernambuco esta jóia rara de nossa cultura...